terça-feira, 1 de abril de 2008

Jeff Beck - You Had It Coming (2000)

Blues ano 3000.
Este disco é um trabalho diferenciado de um guitarrista que atingiu um nível técnico tal, que seus sons tirados da guitarra não mais se assemelham a solos tradicionais ou previsíveis de escalas e notas em abundância, sejam bem tocadas ou não.
Beck extrai sons guturais de sua guitarra e apresenta aqui a simbiose entre instrumento e domador, onde literalmente o que pensa, ele faz. Assina sete das dez músicas do disco, mas sozinho só compôs uma, e de um minuto e vinte e sete segundos.
O disco, apesar das 10 músicas, tem só 34 minutos gravados. Para o segundo milênio, Era CD/DVD, lançar um disco com duração de disco de vinyl e "soluções" experimentais geniais na guitarra, e um tanto indigestas e de difícil assimilação, é quase que uma simbologia para alguém que esteve no passado criador do Rock, como o conhecemos hoje, e para o "mercado" atual de guitarristas em carreira solo. Beck assim parece prever o futuro daquele, e deles.
Este não é um disco semelhante a nada postado de Beck abaixo, mas uma evolução daquilo, naquilo que um artista que continua a se aprimorar com o passar dos tempos pode chegar, não estacionando em um modelo que o represente ou rotule.
Ouvindo um disco como esse me vem à cabeça uma questão que sempre tive em mente: se vivo, que tipo de som Hendrix estaria tocando? Bom, Beck teve a oportunidade de mostrar.
Os gênios sempre evoluem. No ano 3000 talvez toquem Blues assim.
Para iniciados.

11 comentários:

Juca Pirama disse...

Realmente Beck está anos-luz à frente de guitarristas como Satriani e S. Vai, que pra mim querem aparecer mais que a música deles, o que entendo, já que a música deles é muito fraquinha, não passando de uma imitação barata de Van Halen (que por sinal é das poucas coisas boas da década de 80).

Voltando ao Beck, me parece que ele nunca quis fazer um trabalho mais acessível para rádios...

Nos post abaixo você fala que ele é uma alternativa ao som de Clapton e Page, o que concordo plenamente, acresentando ainda que na verdade um era uma alternativa ao outro no fim dos anos sessenta. Page fazia um som mais pesado, Clapton fazia uma coisa mais voltada para o blues (como sempre) e Beck, assim como Hendrix, fazia um som que não dá pra rotular, o que aliás é uma grande vantagem dele.

Seus posts sobre o Beck estão muito bons... acho que só falta falar um pouco do Beck-Bogert-Appice, que pra mim representa o auge de Jeff Beck, gostaria de saber sua opinião sobre este power trio.

Continue com este belo trabalho no blog,
Abs.

Mason disse...

Valeu os comentários e concordo com você no que escreveste.
Este blog é sobre a minha coleção particular de discos, ou seja, o que eu coloco aqui, eu tenho. Ainda não tenho esta fase do Beck, mas futuramente sendo adicionados à minha coleção, aparecerão aqui sem dúvida.
Forte abraço.
Mason.

Juca Pirama disse...

Por obra do acaso você naõ acha que os guitarristas com o tempo não foram desaprendendo a ajustar um timbre para suas guitarras? Veja por exemplo a semelhança do timbre da "turma" de Vai e Satriani e o bom e velho Mega-drive.

A turma dos velhinhos tem um bom gosto bem melhor pra timbre, aliás cada um tem o seu, sendo possível identificar cada um apenas pelo timbre.

Mason disse...

Concordo com você em relação aos novos e "velhos" guitarristas. Mas faço uma ressalva ao Satriani; prefiro ele ao Vai. Tanto que não teno nenhum disco deste último, mas três do primeiro.
E serão postados.
Abs.

Juca Pirama disse...

Como disse não conhecer a fase do BBA, segue um link que fiz upload, do único disco de estúdio deles.
Eles ainda lançaram mais um disco ao vivo antes de se separarem, devido a um ataque de histeria do JB.
Segue o link

http://rapidshare.com/files/106956407/BBA_73_JGF.zip.html

Abs.

Bolacha disse...

Excelente disco. Parabéns.

Anônimo disse...

Excelente blog/posts, parabens pelo trabalho!!!

mauro

André Luís da Silva Leite disse...

Parabéns pelo texto, com base nele, aprendi a apreciar este cd, que numa primeira audição, há uns tempos, eu não havia gostado. Obrigado

Mason disse...

Digerir este disco numa primeira audição realmente é complicado. Legal que tenha ajudado.
Valeu.

TAMBOR CARIOCA disse...

Acho este álbum excelente e mais uma vez, Jeff Beck esteve à frente, inovando.

Coloquei o seu comentário em meu blog www.cd-dvdreviews.blogspot.com. Faça uma visita.

Abraços

Mason disse...

Valeu a visita Sérgio, este disco realmente surpreende. Valeu a postagem no seu blog.
Abs.